RECRIAÇÃO DA ANTIGUIDADE ROMANA

Avé!

A conquista da Lusitânia pelos romanos iniciou-se cerca de 218-201 a.C. com a necessidade que os romanos sentiram de combater a presença cartaginesa na Península Ibérica, resultando também inevitavelmente no choque entre os romanos e as diversas tribos de “lusitanos”.

A presença dos romanos que conquistaram e se instalaram no território peninsular só se iria desvanecer no s. V d.C. com a queda do Império Romano do Ocidente, deixando-nos um legado variadíssimo e riquíssimo de cultura, arquitectura, etc

Para os eventos de temática romana propomos recriar ambientes domésticos e não só, onde se incluem recriadores das diversas classes sociais, como plebeus, escravos e patrícios, com as suas diversas actividades. Assim, propomos, por exemplo, a recriação, de forma limitada, da dinâmica quotidiana de uma "domus", onde os visitantes podem descobrir como se moía manualmente os cereais necessários á confecção do pão, mas também podem descobrir uma série de outros utensílios de cozinha que a escrava doméstica utiliza no seu trabalho diário enquanto no outro lado da "domus" a matrona pode, por exemplo, ir fiando a lã ou trabalhando no tear ou partilhar um jogo de tabuleiro com o "pater" famílias ou um visitante que queira aprender uma das diversas formas de diversão da época. Os visitantes também poderão apreciar o requinte de alguns objectos mais refinados destinados ao uso quotidiano de uma classe social mais abastada e podem descobrir como se escrevia em tabuinhas de cera. O espaço da domus é recriado, entre outras coisas, com recurso a algum mobiliário semelhante ao da época e para além dos inúmeros objectos/utensílios conta também com um imprescindível lararium, numa evocação e recriação de uma parte muito importante da vida dos antigos romanos, o culto aos espíritos dos antepassados da família, para além dos cultos às demais divindades.

Também propomos a recriação de uma parte mais íntima da vida dos antigos romanos, com a presença de uma "foricae" ou seja uma latrina pública/comunitária. Com a montagem da latrina romana nos eventos, os visitantes são convidados a sentarem-se e a imaginarem o que hoje em dia é considerado antiquado, que seria partilhar o mesmo espaço e em simultâneo com outras pessoas para a satisfação das necessidades fisiológicas. Enquanto os visitantes “descobrem a sensação” de partilhar uma "foricae" podem ser confrontados com a presença de um dos nossos recriadores que irá partilhar factos curiosos e alguns algo horripilantes sobre a higiene no tempo dos romanos.

Para os que apreciam o mundo militar romano, temos à disposição algum equipamento militar que os visitantes podem experimentar, como, por exemplo, colocar um elmo ou empunhar um escudo, tal como milhares de legionários o fizeram ao longo dos séculos.